fbpx

Dúvidas frequentes

Se você vai realizar uma mudança internacional e quer levar o seu animalzinho de estimação, alguns cuidados devem ser tomados para realizar tal procedimento.

Nas mudanças interestaduais ou internacionais, consultar as normas para o transporte dos pertences é fundamental para evitar aborrecimentos ou ter impedimentos pela falta de alguma documentação exigida.

Na hora de realizar uma mudança internacional é preciso uma organização antecipada para não ter imprevistos no decorrer do processo, como ter os pertences bloqueados na saída do país ou no destino final.

Se além dos pertences você vai levar o seu animal de estimação na mudança, então deve ter uma atenção especial para os procedimentos necessários. Nos casos de transporte internacional de animais, algumas regras precisam ser respeitadas, já que, se a documentação não estiver em ordem, o animal será impedido de embarcar. Confira a seguir as normas brasileiras para esse tipo de procedimento.

1) Restrições com o tansporte

Antes de dar início aos procedimentos para o transporte internacional do seu pet, você deve confirmar se o país para o qual você está viajando aceita recebê-lo. Alguns países têm restrições a alguns tipos de raças, como no caso do Reino Unido.

É importante consultar também, se a companhia aérea que você escolheu faz o transporte do seu animal, pois dependendo da raça, algumas companhias não realizam o serviço. O cuidado deve ser tomado principalmente com os cães e gatos de focinho curto, por questões de dificuldade respiratória e sensibilidade ao calor.

2) Vacinas exigidas

Para poder voar, o seu pet deverá tomar todas as vacinas necessárias, principalmente no caso da vacinação contra a raiva. O certificado de vacinação antirrábica é solicitado para os animais que têm mais de 3 meses de idade. O animal deve tomar a vacina de forma antecipada, não menos de 30 dias antes e não mais do que 1 ano antes de embarcar. Se a vacina vencer antes do prazo da viagem, tome o cuidado de vacinar novamente o seu animalzinho com 30 dias de antecedência da data da viagem.

shutterstock-760460401.jpg

3) Certificado Veterinário Internacional

Uma das regras brasileiras para o transporte internacional de animais é o Certificado Veterinário Internacional (CVI), que deverá ser solicitado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Esse certificado é um exame clínico que vai indicar que o animal está com a saúde em dia. O documento deverá ser emitido em uma data próxima da viagem, de até 10 dias antes, ou conforme regra do país de destino.

Para emitir o certificado será solicitada, entre outros documentos, a carteira de vacinação com a dose antirrábica em dia, além de outras vacinas conforme requerimento do país de destino. Você também deverá ter em mãos um atestado de saúde do seu pet, em via original, assinado, carimbado e datado pelo médico veterinário. Você deve consultar se o país para onde está indo viajar tem alguma solicitação específica que deverá constar no CVI.

4) Passaporte brasileiro para cães e gatos

Além disso, para facilitar o processo, o animalzinho de estimação conta com a possibilidade de um passaporte brasileiro, que pode ser expedido para cães e gatos. Consulte se o país para o qual você está indo aceita esse documento. O passaporte é expedido pelas unidades de Vigilância Agropecuária Internacional.

5) Microchip e quarentena

Em alguns casos, os países de destino podem solicitar também que o animalzinho de estimação tenha um microchip. É importante que você consulte antecipadamente para pedir ao veterinário do seu pet que faça o procedimento no prazo adequado. Além disso, conforme o destino final da viagem, é preciso que o animal passe por um período de quarentena antes de viajar.

6) Procedimentos no destino final

No destino final, será solicitada toda a documentação que vai comprovar que o animal está em dia com as vacinas e cuidados veterinários. Você deverá apresentar os exames e a carteira de vacinação. Você também precisa ter em mãos o Certificado Veterinário Internacional que foi expedido no Brasil.

Dependendo do país de destino serão verificadas também, além da documentação padrão, outras exigências específicas, como por exemplo, se o animal passou pelo período de quarentena ou se possui o microchip. Consulte detalhadamente toda a documentação necessária antes de sair do Brasil para evitar transtornos.

Fonte: www.mudanca.com

Comment on this FAQ

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você está de mudança para outro estado e não sabe como se organizar? Então confira a seguir algumas dicas que vão te ajudar neste momento.

Na hora de mudança de residência, é preciso ter atenção, principalmente no que diz respeito ao transporte dos pertences até o local de destino. Quando a mudança é interestadual, os cuidados devem ser ainda maiores, principalmente quanto à separação, embalagem e proteção de cada móvel ou objeto.

Além disso, há alguns cuidados importantes de planejamento, como documentação necessária no caso de fiscalização rodoviária. Como se planejar para que a sua mudança para outro estado corra bem e sem imprevistos? Confira a seguir algumas dicas para se organizar e ficar tranquilo.

1) Escolhendo o formato ideal de transporte

Na hora de pedir um orçamento de transporte para a sua mudança, você poderá optar por duas modalidades. Em uma mudança exclusiva, o caminhão levará somente os seus pertences, sendo ideal para quem tem uma grande quantidade de itens a serem transportados e precisa de rapidez, pois a sua mudança sairá do local de retirada e será entregue direto no destino final.

Nas mudanças compartilhadas, os seus pertences dividirão espaço no caminhão com outros clientes, bastante utilizada por pessoas que não tem uma quantidade suficiente de objetos e móveis para encher todo o caminhão. Nos transportes compartilhados, a vantagem é que você pagará menos pelo serviço, já que com o aproveitamento da carga as empresas conseguem baixar bastante o valor do transporte que seria pago por cada cliente. Oferece um excelente custo-benefício para quem vai levar consigo poucos pertences e não tem pressa para o serviço.

Uma desvantagem é que esse tipo de transporte pode demorar mais do que as mudanças exclusivas, já que a empresa primeiro coleta os pertences de cada cliente, e só então o caminhão parte para a cidade de destino, entregando os pertences conforme a rota de logística. Você poderá resolver esta desvantagem com um bom planejamento prévio e, assim, vai economizar gastos.

2) Optando pela empresa ideal

Antes de fechar um contrato com uma empresa, investigue se os serviços oferecidos correspondem à sua expectativa. Você também pode buscar por opiniões de clientes, para saber se a empresa é idônea, pontual e oferece um bom atendimento. É fundamental saber quais as principais necessidades que você precisa que sejam atendidas e ver se a empresa pode atendê-las, como prazos, preços, serviços, entre outros.

No caso das mudanças interestaduais, normalmente os pertences ficam sob a responsabilidade da empresa por um grande período de tempo, já que as distâncias a serem percorridas são maiores do que em uma mudança local, obviamente. Então, certifique-se de que está deixando a sua mudança em boas mãos.

shutterstock-547444582.jpg

3) Confirme todos os dados possíveis

Para evitar desentendimentos e transtornos durante a coleta e transporte para outro estado, ou até mesmo gastos inesperados no final do serviço, é fundamental confirmar todas as informações sobre o local de retirada, o destino final, bem como dos itens a serem transportados. Algumas empresas disponibilizam o serviço de vistoria, em que um técnico da empresa vai até o local para fazer o orçamento de forma mais precisa e adequada à necessidade de cada cliente. Na maioria das vezes, é feito de forma gratuita, dependendo da empresa.

A quantidade e tipo de itens a serem transportados, os serviços a serem contratados, bem como a dificuldade de retirada dos pertences da residência (em casos de apartamentos em prédios sem elevador ou ambientes muito pequenos), se vai precisar de içamento, o volume de embalagem necessário de acordo com cada objeto, são alguns dos aspectos que fazem a diferença para a cotação do transporte. Confirme também a documentação necessária, como as notas fiscais de eletrodomésticos para a fiscalização rodoviária.

4) Planejamento de tempo

Outra dica é importante é ter em mente o tempo que a empresa vai levar para coletar os itens na sua residência atual e entregar no destino final. Como se trata de uma mudança interestadual, esse planejamento vai facilitar a organização de um cronograma, para que você saiba quando deverá estar tudo pronto para a retirada dos pertences, bem como quando deverá se deslocar para a nova residência para receber e acomodar o mobiliário e objetos.

Com isso, você vai saber se chegando na cidade de destino poderá morar direto na nova residência ou se vai precisar ficar hospedado em um hotel até a chegada dos seus pertences. Isso vai evitar que você chegue no novo lar e precise esperar muito tempo até poder se instalar devidamente.

Se você não vai viajar dirigindo e precisa que seu carro também seja transportado, confirme se a empresa de mudanças faz este tipo de serviço e qual o prazo para ter o seu veículo no novo endereço. Faça o mesmo no caso de ter algum animal de estimação que também precisará ser transportado.

5) Seguro para mudanças interestaduais

Quanto mais longe a distância a ser percorrida para o transporte de uma mudança, maior é risco de que aconteça algum tipo de acidente. Então, como forma de se prevenir, você pode pedir para que a empresa faça a cotação de um seguro para os seus pertences.

Como as mudanças interestaduais podem vir a percorrer estradas com condições não tão boas, além de aspectos climáticos que podem desfavorecer o percurso, como a chuva, assim como diversos outros imprevistos, sempre que possível, faça um seguro para sua mudança.

Agora que você já sabe o que precisa ter em conta para uma mudança interestadual, clique aqui e encontre empresas especializadas para um orçamento.

Fonte: www.mudanca.com

Comment on this FAQ

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quando vamos fazer compras no mercado, uma das coisas mais importantes é fazer uma lista das coisas que precisamos comprar.

Com nosso pouco tempo e com nossa cabeça que está sempre focada em coisas que ainda nem aconteceram, esquecer-se da caixa de sabão em pó é fato se não houver uma lista, para isso criamos nosso checklist passo a passo de como organizar uma Mudança Residencial.

Mudar de casa é algo que requer muito mais planejamento e organização do que apenas ir ao mercado. Uma lista é imprescindível para não esquecermos de todos os passos que precisamos cumprir para que a mudança seja um sucesso.

Por isso, aqui vai uma lista de coisas de como organizar uma mudança 30 dias antes da mudança até o dia da mudança.

Como organizar uma mudança residencial / checklist mudança

30 dias antes:

Não pechinche e não invente. Contrate uma empresa de mudança experiente e que se encaixe em suas necessidades e no seu bolso.
Quer economizar? Pegue caixas de papelão no mercado e embale você mesmo. Nem pense em alugar um reboque e fazer você mesmo a mudança porque o prejuízo pode ser enorme. Aqui no Guia de Mudanças você preenche um orçamento com todos os dados de sua mudança e, no mesmo dia, recebe cotações de várias empresas. Você pode comparar os valores e os serviços e escolher o melhor para você.

Veja aqui em nosso outro post Como escolher uma empresa de mudança

25 dias antes:

Estoque materiais. Pense em todas as coisas que você vai levar para saber a quantidade de caixas e os tamanhos. Além das caixas, é necessário comprar fita adesiva, para fechar as caixas, e embalagens especiais, para aqueles objetos frágeis. Você pode comprar plástico bolha, papel manilha, papel kraft ou usar jornais para objetos como louças, vasos, quadros, etc.

Na nossa loja você pode comprar kits mudanças, aproveite para economizar.

Caso queira, utilize nossa calculadora de embalagem para identificar a quantidade de material necessário para a sua mudança

20 dias antes:

Deixar o passado para trás. Tem roupas no seu armário que estão paradas há anos? Separe todas e faça doações a quem precisa. Essas roupas só serão um peso a mais na mudança e não te servirão de nada. Brinquedos e móveis não usados também devem ser doados.

15 dias antes:

Embale com antecedência. Para evitar stress e esquecer algumas coisas importantes, comece a embalar seus objetos algumas semanas antes do grande dia. Monte as caixas e comece a embalar as coisas que você não vai precisar por enquanto. É comum em mudanças encontrar a caixa de talheres e pratos no quarto. Evitar isso é fácil embalando por cômodo e escrevendo em cada caixa o nome do ambiente.

As roupas você pode colocar em malas de viagens e levá-las em seu carro. Isso deixará mais espaço no caminhão para colocar as coisas que são realmente necessárias. Se precisar, confira aqui como embalar roupas para mudança.

Coloque em cada caixa números de 1 a 3 (sendo 1 pouca prioridade e 3 grande prioridade). Assim, quando estiver na nova casa será mais fácil discernir o que desembalar com mais rapidez. Deixe as caixas abertas e feche-as somente faltando 4 dias para a mudança Outra coisa interessante de se fazer, são recortes nas caixas mais leves para que formem uma “alça”. Isso facilitará no transporte.

Veja aqui dicas de como embalar e montar as caixas para a sua mudança

10 dias antes:

Mudar endereços. Solicitar o desligamento e transferência da TV a cabo, do telefone e internet para não ficar sem esses serviços tão importantes hoje em dia. Não deixe, também, de alterar os endereços de correspondências como banco, plano de saúde e assinaturas de revistas e jornais, para que cheguem ao local certo. Pagar multa porque a conta não chegou ao destino certo na data é um desperdício de dinheiro que ninguém quer ter.

9 dias antes:

Caso tenha crianças ou animais de estimação, veja com parentes e amigos se alguém pode cuidar deles durante a mudança. Esse período já é difícil e com eles pode ser pior para organizar tudo.

8 dias antes:

Separe coisas importantes e de valor. Joias, passaportes, documentos, talões de cheque, dinheiro e etc, tudo deve ser levado com você para evitar transtornos. Coloque em uma caixa separada, escreva “levar no carro” e no dia, leve você mesmo. Caso tenha um cofre, guarde tudo nele para o transporte.

Utilize o PagMudança para realizar o pagamento da sua mudança. Ele é o meio digital de pagamentos do site Guia de Mudanças onde protege você de problemas na contratação de empresas desconhecidas. O único requisito é pagar em até 4 dias antes do serviço, e pode ser usado para qualquer empresa de mudança ou carreto.

Com o PagMudança seu pagamento fica bloqueado até o término do serviço, é grátis. Clique e saiba mais!

7 dias antes:

Kit sobrevivência. Faltando um semana para mudar, separe as coisas que serão necessárias para usar enquanto a casa ainda estiver uma bagunça. Separe um kit com utensílios de cozinha e limpeza, como papel higiênico, escovas de dente, talheres, panelas e pratos. Assim, facilita seus primeiros dias, enquanto a casa está sendo organizada.

Se precisar confira aqui em nosso site como embalar geladeira para mudança.

6 dias antes:

Não se esqueça de verificar os horários para mudanças caso more ou vá mudar para condomínio.  Notifique o responsável e não deixe para última hora. Chegar com o caminhão cheio de coisas para descarregar e não ser o horário certo pode lhe gerar custos extras por falta de organização.

Confira aqui qual o melhor dia da semana para se mudar.

5 dias antes:

Mande seus cobertores, tapetes, edredons e cortinas para a lavanderia. Já que a casa é nova, nada mais justo do que estar tudo limpinho e parecendo novo. Deitar-se numa cama com um edredom cheiroso e limpo é uma sensação maravilhosa após dias de stress.

4 dias antes:

Verifique todas as caixas para ver se as etiquetas de cômodo e prioridade estão corretas. Veja se o peso dos objetos está de acordo com a caixa para que a caixa não rasgue no caminhão. Caso ainda não tenho montado suas caixas , veja aqui como montar caixas para mudança.

3 dias antes:

Defina as responsabilidades de cada membro da família. Se necessário, busque ajuda de amigos ou de sua diarista. Ao final da mudança, você pode dar uma gratificação à eles, como um móvel que não será mais usado ou um eletrodoméstico. Caso não haja, ofereça um jantar quando a nova casa estiver organizada. É sempre bom agradecer, mesmo que com pequenos gestos, quem nos ajuda.

2 dias antes:

Desligue a geladeira e o freezer. Deixe as portas abertas para que degelem e, após isso, passe um pano limpo para secá-los totalmente. Isso evita o mofo em seus eletrodomésticos. Depois é só embalar com cuidado para não sofrerem avarias durante a mudança. Aqui também temos um artigo de como embalar geladeira para mudança.

1 dia antes:

Desligue todos os aparelhos eletrônicos para que eles estejam todos em temperatura ambiente no dia da mudança. Alguns aparelhos podem ficar muito quentes quando estão em uso. Antes de guardar os aparelhos, tire uma foto dos fios conectados à ele para saber depois a ordem de todos. São tantos fios que acabamos nos confundindo quanto o lugar de cada.

Fonte: www.guiademudancas.com.br

Load More